75% dos diretores brasileiros já excluíram candidatos por dados inconsistentes

Recente pesquisa da Robert Half revelou que 75% dos 303 diretores brasileiros entrevistados já excluíram candidatos de um processo seletivo após detectarem dados supervalorizados ou omitidos nos currículos deles. O dado, coletado em julho de 2017, é um alerta para os profissionais que usam essa alternativa para atrair a atenção dos recrutadores, diante da relação desproporcional entre candidatos e vagas.

O estudo da Robert Half também levantou quais as informações eram as mais “maquiadas” pelos candidatos. No Brasil, os campos de experiência de trabalho, qualificações (ensino/educação) e habilidades técnicas são os que mais apresentam informações inconsistentes.

Outros países – O Chile é o país onde um maior número de diretores relatou ter tido problemas com informações desonestas ou exageradas em currículos (80% dos entrevistados), seguido do Emirados Árabes (79%). Os especialistas da Robert Half alertam que, no processo de recrutamento e durante a carreira, toda mentira descoberta, independente do grau de importância, pode colocar em xeque todas as verdades relatadas pelo candidato.

Na França, mais da metade dos entrevistados (53%) nunca precisou desconsiderar um candidato por encontrarem informações desonestas no currículo. No total, a pesquisa da Robert Half mapeou a percepção de 2710 diretores de 10 países ao redor do mundo.

Diretores que já excluíram o candidato de um processo após descobrirem no currículo informações desonestas ou exageradas:

Colocação Países % de diretores que concordam
Chile – 80%
Emirados Árabes – 79%
Brasil/ Alemanha – 75%
Bélgica – 74%
Holanda – 71%
Austrália/ Suíça – 68%
Reino Unido – 62%
França – 47%

Campos do currículo onde os diretores mais encontraram informações inconsistentes em percentual
Experiência de Trabalho 56%
Ensino/Graduação 46%
Habilidades Técnicas 44%
Idiomas 39%
Tarefas de trabalhos anteriores 35%
Habilidades de liderança 27%
Estágios 26%
Habilidades em gerenciamento de projetos 18%
Salários anteriores 16%
Outros 1%

 

Fonte: www.mundorh.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *